Institucional

FÁBRICAS DE CULTURA 

Desenvolvido desde 2007 pelo Governo do Estado com recursos do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento e da Secretaria da Cultura, atual Secretaria de Cultura e Economia Criativa, o Programa Fábricas de Cultura objetiva estimular o desenvolvimento integral dos indivíduos e grupos, por meio da valorização e ampliação de universos culturais e de situações de convivência e experimentação artística, bem como incentivar e potencializar a articulação de redes de produção e de circulação cultural. 

A Organização Social Catavento Cultural e Educacional administra 6 das 12 unidades do Programa Fábricas de Cultura em São Paulo, por meio de Contrato de Gestão firmado com a SEC, e inaugurou a primeira delas no ano de 2011, em Vila Curuçá. A Organização implantou ainda naquele ano mais duas unidades, em Sapopemba e Itaim Paulista e, nos dois anos seguintes, as unidades Parque Belém e Cidade Tiradentes. Em 2020 planejou e executou a implantação, de 29/06/2020 a 30/09/2020, apenas três meses, em meio a uma grave pandemia sem precedentes (Covid-19), da 1° Fábrica de Cultura 4.0 do estado, em São Bernardo do Campo.    
 
As Fábricas de Cultura oferecem à população uma diversa e intensa programação cultural, com cursos de dança, teatro, música, circo, artes visuais, multimeios e xadrez, além de sessões de cinema, shows musicais, bibliotecas com cerca de cinco mil títulos cada e estúdios de áudio e vídeo, na unidade de Vila Curuçá, e de áudio nas demais unidades, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém e Cidade Tiradentes. Em São Bernardo do Campo, com uma proposta inovadora, agrega as artes presenciais já tradicionalmente trabalhadas nas Fábricas às artes digitais, que abarcam as linguagens de tecnologia e inovação, com possibilidade de replicação em outras unidades, no intuito de preparar os jovens para as novas profissões e oportunidades do futuro.

Instaladas em modernos prédios, com cerca de 6.000m², possuem salas devidamente equipadas e teatro com 300 lugares, constituindo-se como um ponto de encontro, um espaço para dinamizar e acolher as manifestações locais, onde grupos e artistas dos bairros realizam ensaios, vivências e apresentações. As atividades, sempre gratuitas, atraem um público cada vez maior e mais interessado em se expressar, compartilhar, descobrir, dialogar e buscar caminhos e ferramentas para se profissionalizar no setor cultural. 

As pesquisas de satisfação realizadas semestralmente apontam o contentamento dos usuários, cujo Índice de Satisfação Geral em relação aos cursos, bibliotecas e atividades de difusão oferecidos chegou a ser superior a 98% nos últimos três anos. 

As Fábricas de Cultura pretendem consolidar-se pelo fortalecimento de ações com a comunidade, integrando a família dos participantes, escolas, organismos sociais e outras entidades como parceiras. A frequência nas unidades em operação é de cerca de 500 aprendizes por dia útil e de 2.000 espectadores nos fins de semana. Um extraordinário sucesso que vem melhorando a vida da comunidade, especialmente dos jovens.